top of page
  • Foto do escritorClarissa Motta

O Porto encanta

Um magnífico centro histórico protegido pela UNESCO. Cheguei em Porto e fui pegar o metrô, que fica localizado em frente ao desembarque do aeroporto Francisco Sá Carneiro, com destino ao centro da cidade. A linha ‘E’, em direção à estação Estádio do Dragão, demora em torno de 30 minutos para fazer o seu percurso

.

Como eu só fiquei pouco tempo nessa encantadora cidade, optei pelo pacote de 2 dias da Hop-On Hop-Off da empresa City Sightseeing© que incluiu um passeio de barco pelo Rio Douro e uma degustação de vinho.

A minha primeira parada foi no Mercado Bolhão, um mercado aberto e repleto de barraquinhas que vendem souvenirs, frutos do mar, plantas e artesanato. De lá segui até a Câmara Municipal e desci a Av. dos Aliados até o ponto 1 da parada do ônibus. Escolhi a rota vermelha do Hop on Hop Off no primeiro dia.

Como muitos lugares em Porto, o Mercado Bolhão está passando por uma restauração, para deixar o espaço mais moderno sem perder as características arquitetônicas, um dos pontos fortes da cidade.

Dentro do ônibus, segui o roteiro: Estação São Bento (a estação de trem que possui aproximadamente 20.000 azulejos que contam a história de Portugal); Sé Catedral (no melhor estilo romano); Av. Vimara Peres, onde se tem uma vista deslumbrante do Rio Douro, suas pontes e a Vila Nova de Gaia; Praça da Batalha, onde se encontra o Teatro São João e a Igreja de Santo Ildefonso (mais uma igreja passando por restauração); Rua Santa Catarina (onde fiquei hospedada e os portugueses a chamam de ‘Artéria Crucial’ por estar situado os principais restaurantes, shoppings e comércio de Porto); segui em direção a Igreja das Carmelitas (estilo barroco que passou por uma restauração externa dos painéis de azulejo); Universidade do Porto (onde pude conhecer o curioso uniforme dos alunos que me lembrou o filme de Harry Potter); Palácio da Justiça, Jardim da Cordoaria e suas curiosas árvores de raízes gordas e Torre dos Clérigos com seus 71 metros de altura.

Parti para a Praça Mouzinho, passando pela Casa da Música, e decidi ir conhecer o Mercado Bom Sucesso, outro ponto turístico que passou por uma reforma recentemente, ideal para bons apreciadores de tapas e drinks dos mais diversos tipos.

De volta ao ônibus, segui pela Avenida Boa Vista até a Praia e o Forte São Francisco Xavier. Nesse ponto vale soltar para conhecer a obra de arte chamada Medusa que fica localizada na rotatória logo após o Sealife (aquário de Porto) e lembra uma água-viva em movimento. Me disseram para voltar a noite para ver o monumento iluminado. Fez toda a diferença!


De lá segui pela Av. Brasil (levou esse nome por ter sido o local em que os portugueses que voltaram do Brasil escolheram para construir suas casas e mostrar que tinham obtido riqueza), passei por toda a orla do Porto (em alguns pontos parecida com a orla de Salvador antes da reforma) até chegar na Ribeira para fazer o passeio do Cruzeiro das Seis Pontes. O mesmo parte do cais da Ribeira, passa pelas seis pontes que ligam o Porto à Gaia, vai até as proximidades da foz e retorna à Ribeira, lindo! As pontes são: Ponte Luís I e Ponte Maria Pia (ambas foram projetadas por Teófilo Seyrig, sócio de Gustave Eiffel), Ponte de São João, Ponte da Arrábida, Ponte do Freixo e a Ponte do Infante.


Ao final, ainda continuei a explorar um dos lugares que mais gostei: a Ribeira e o charme das suas casas coloridas que disputam espaço com suas ruas estreitas, lojas, restaurantes e turistas.

Como estava com um casal de amigos nativos, eles me levaram para jantar frutos do mar em uma cidade vizinha chamada Matozinho. Provei a açorda de ovas, um dos pratos típicos do Porto (sabor duvidoso).


No dia seguinte escolhi o roteiro azul em direção a Vila Nova de Gaia. O primeiro espetáculo do dia foi atravessar a Ponte D. Luis I (ônibus e carros passam por baixo e pessoas e o metrô por cima). Desci na Rua Diogo Leite, onde ficam situadas as feirinhas de rua e as casas de vinho. O pacote turístico ainda deu direito a provar o vinho do Porto, no Porto Cruz. Após a degustação comi um polvo no restaurante Tempero d’Maria, localizado em frente ao rio, uma ótima opção para aqueles que querem apreciar uma bela vista do Porto.

De lá parti para a Quinta da Boeira, uma boa opção para aqueles que desejam almoçar e provar o vinho do Porto mais distante do fervor de turistas que ficam localizados na Rua Diogo Leite. A parada seguinte foi no El Corte Inglés, um shopping, considerado por muitos, um dos pontos turísticos de Porto. No final do dia resolvi pegar um metrô de volta para o hotel para apreciar pela última vez a vista de cima do Rio Douro. Desci na estação da Marquês de Pombal e dei uma volta pela Rua Santa Catarina.




Mais lugares por Portugal:


コメント


bottom of page