top of page
  • Foto do escritorClarissa Motta

Descobrindo Helsínquia

Uma das melhores opções para quem tem uns dias extra disponíveis em Tallinn é visitar Helsínquia. A capital finlandesa fica há apenas 2 horas de ferry de Tallinn, o que é totalmente possível ir e voltar no mesmo dia. A viagem é muito cômoda e os valores mudam de acordo com os horários e tipos de barco. Eu fui pela empresa Tallink Silja. Os barcos são enormes, com muitos serviços disponíveis no interior (restaurantes/cafés, lojas e até um duty free).


Vale ressaltar que o ticket informa que você deve chegar com 20 minutos de antecedência, mas eu sugiro fortemente chegar 40 minutos antes. Eu cheguei 20 minutos antes e por exatos 1 minuto não perdi o barco, que saiu 15 minutos antes do informado no ticket. O meu barco foi o Star (que é um pouco maior que o Victoria) e achei a experiência super bacana!

Vale ressaltar que fui em Abril e o clima ainda estava muito frio e chuvoso. A cidade estava com bastante obra e alguns pontos turísticos interditados. Se você ficar mais de um dia na cidade, recomendo fazer Helsinki Card já que a maioria dos pontos turísticos são pagos e CAROS! Com o cartão você tem acesso a praticamente tudo!


Peguei o tram em frente ao porto direto para o Parque Esplanadi e caminhei até a Praça do Senado. Aqui, você encontrará alguns dos marcos mais emblemáticos da cidade, incluindo a majestosa Catedral de Helsinque, com sua arquitetura neoclássica impressionante, o Palácio do Governo, a Biblioteca Nacional e a Universidade de Helsinque. Não deixe de subir os degraus para apreciar as vistas panorâmicas da cidade a partir do topo da catedral.


Caminhando apenas 10 minutinhos, você chega na Catedral Uspenski, uma igreja ortodoxa e a maior igreja ortodoxa da Europa Ocidental. É nessa mesma área que está a Ponte do Amor e uma sauna a céu aberto. Se eu tivesse mais tempo investiria na experiência de ir nas saunas e piscinas aquecidas da Allas.


Infelizmente o Old Market Hall (Vanha kauppahall) estava fechado no domingo, mas por sorte tinham várias barraquinhas de rua, com aquecedor e servindo comida típica - incluindo a famosa sopa de salmão.


O passeio continuou pela praça Narinkka, passando pela capela Kamppi, também conhecida como a capela do silêncio. A capela é bastante pequena e sua arquitetura é tão simplista que eu jamais diria que aquilo era uma igreja. É nessa praça que está o Museu Amos REX de arte moderna. O espaço externo já da um gostinho do que esperar por dentro...


Continuei pelo Taidehalli – edifício que se distingue pela sua bela e estranha arquitetura, e por apresentar as mais belas exposições de arte contemporânea da bela cidade de Helsínquia. Cheguei até a igreja Temppeliaukion - também conhecida como a Igreja da Pedra, construída em 1969 diretamente em rocha sólida. Em vez de pagar para entrar sugiro entrar na recepção e dar uma olhada dali mesmo.


Fui andando até o Parque Sibelius, um dos principais parques da cidade, mas o mesmo estava em obra e fechado temporariamente. Como a chuva apertou o jeito foi pegar o barco de volta à Tallinn.





Outros países bálticos:


Opmerkingen


bottom of page