top of page
  • Foto do escritorClarissa Motta

Gracias Madri

Uma grata (e quente) surpresa. A viagem em família começou em grande estilo e instalado em um edifício neoclássico em Chamberí: o Hotel Sardinero Madrid, uma das hospedagem mais bacanas dos últimos tempos.

Para melhorar, foi no terraço desse hotel que filmaram o icônico filme Perfeitos Desconhecidos (Perfetti Sconosciuti)- um dos meus filmes preferidos!

De lá, pegamos o metrô até a Plaza Espanha e fomos caminhando para ver o pôr do sol no Templo Debod, um dos quatro templos oferecidos pelo governo do Egito aos países que ajudaram a salvar vários templos às margens do Rio Nilo. Esse é o único desses templos que está exposto ao ar livre e pode ser visitado gratuitamente. O parque fica rodeado de músicos, artistas e pessoas jovens preparadas para saudar o fim de mais um lindo dia.


Como a minha mãe tinha lido em uma revista ótimas dicas sobre a La Latina, um dos bairros mais boêmios de Madri, seguimos até la. A ideia da noite foi provar tapas e cervejas em cada bar que nos chamava a atenção. O resultado foi muita diversão, explosão de sabores e música!


O dia seguinte começou na Biblioteca Nacional e Jardines Del Descubrimento para pegar o Hop On Hop Off. Vale ressaltar que é nessa praça que estão gravadas profecias relativas à Descoberta da América.


A primeira parada foi no Palacio Real – não é a residência da família real espanhola, porém, o palácio ainda é usado para banquetes oficiais, cerimônias de estado e eventos importantes. De um lado está a Catedral da Almudena e do outro, os jardins de Sabatini, um lugar gostoso para tirar umas belas fotos.  E o melhor, mesmo para quem não entrou no palácio, entrar no jardim é grátis.




A segunda parada obrigatória foi no Mercado de San Miguel – o local possui uma grande variedade de produtos regionais e internacionais, como tapas, ostras, queijos, vinhos, cervejas e mais. Uma pena o preço ser alto, se comparado aos outros lugares na cidade.

Logo em frente ao mercado está a Plaza Mayor e a linda fachada da Casa da Padaria, construído no século XVII. Eu amei a energia do local e decidimos sentar para almoçar e tomar uma caña, observando os diversos artistas de rua que se apresentavam por ali.


Logo ao lado está a Plaza Puerta del Sol e a estátua de El Oso y el Madroño – um grande urso de pedra e bronze que tentava comer a fruta de um madroño (árvore típica de Madri). Inclusive, é um dos cartões-postais de Madri desde o século XIII.


Dentro do Hop on Hop off passamos pela Plaza de Cibeles, um complexo escultórico de mármore, no estilo neoclássico, que virou um símbolo de Madri, e fomos direto para Museu do Prado. O local é um sonho para os amantes da arte. Perto do museu está o Parque do Retiro, um dos lugares mais agradáveis da capital espanhola, além de ser parada obrigatória para todos os viajantes.


Outro ponto de interesse dentro do parque é a Estanque Grande, um grande lago artificial construído inicialmente para servir como cenário para batalhas navais (encenações) e apresentações aquáticas.


No terceiro, e último dia, voltamos ao bairro La Latina para conhecer a Feira El Rastro – uma enorme feira, onde se vende de tudo: livros, roupa, mobiliário, instrumentos musicais, bolsas, etc.  A feira só funciona aos domingos e feriados Obs: tive que comprar uma mala extra para caber as compras rs




A última parada foi na estação de Atocha, uma obra de arquitetura fabulosa construída em ferro e vidro. O seu interior tem jardins de palmeiras e foi um ótimo espaço para a gente esperar o trem bala AVE que nos levou ao próximo destino.

Alguém tem alguma dúvida de que a gente aproveitou ao máximo a celebração dos 60 anos de casado dos meus avós?


Eu também conheci:




Comments


bottom of page