top of page
  • Foto do escritorColaboradores

Surf, yoga e comida no Marrocos

Se você está pensando em tirar férias e visitar o Marrocos sugiro reservar uns dias para conhecer a cidade de Tagazhout, localizada na costa oeste do país. A cidade é pequena e fica a uma hora de distância do aeroporto de Agadir. A vibe do local é bem roots, cidade de surfista, com poucos habitantes, muitos hostels/coworking e quase 300 dias de Sol no ano. 

Meu roteiro foi escolhido com a estratégia de fugir do inverno europeu (Janeiro), conhecer a cultura marroquina, e aprender a surfar. Reservei o hostel “Adventure Keys” com a opção de seis dias de surf + acomodação + alimentação. Valor total incluindo todas as refeições e mais uma diária simples ficou 360 euros (a moeda local deles é Diram e equivale a dez vezes menos o euro). 


Dia 01 a dia 04: Café da manhã + aula de surf na praia próxima chamada Anza. O professor vem nos buscar no hostel com uma van, levamos a prancha, wetsuit e a marmita do almoço. Passamos o dia na praia e voltamos por volta das 16h. A minha primeira experiência com o surf é basicamente aprender a subir na prancha, remar, e tentar me levantar. De noite jantamos no hostel e a comida é sensacional: tahine, salada, legumes variados, chá de menta e sobremesa. 


A cidade tem opções de restaurantes com pratos que variam entre 3 e 12 euros (considere provar o peixe frito no restaurante “Panorama”). 


Dia 05: Decidi mudar a rotina do surf e ir ir visitar a cidade mais próxima: Agadir. Peguei um taxi coletivo (1 euro) e cheguei em Agadir pela manhã. Experimentei o teleférico (8 euros) e observei a cidade de cima, depois fui caminhando com meu amigo até um restaurante e almoçamos em restaurante. Aproveitei o tempo livre e fui trabalhar num café perto até a hora da janta. Recomendo usar o dia 05 para explorar cidades próximas como Agadir (45min de carro) ou Essaouira (2:30h de carro).


Dia 06: Ida à cooperativa de Óleo de Argão para conhecer seu processo de fabricação e ingredientes. O espaço é gerido por mulheres, a tradição é milenar e o respeito pelo ingrediente nos mostra que tudo pode ser reaproveitado. Somos recebidas com um chá royal, provamos a produção de mel e pasta de amendoim. Em seguida vamos conhecer as etapas da produção do óleo de argan, que pode ser usado para cozinhar ou como cosmético. É preciso trabalhar três dias para fabricar um litro de óleo de argão. Em seguida fomos ao Paradise Valley, um vale perto das montanhas com um rio e restaurantes. Confesso que não achei tão interessante, além de ser um rio pequeno, havia muitas cadeiras e mesas de plástico em todos os cantos, tirando um pouco da beleza natural. 



Por fim, fomos visitar o maior mercado local da Africa: Souk El Had em Agadir. Lá predomina-se cores fortes e aroma de especiarias, é possível encontrar de tudo, artigos para casa, bijoux, roupas, produtos made in china e os produtos locais. Importante sempre negociar o preço antes de comprar, leve dinheiro em espécie. 




A experiência no Marrocos me mostrou que a culinária é rica e tem sabor único, as pessoas são dispostas a ajudar, e há muitos “nômades digitais” morando nos hosteis, fica mais fácil fazer amigos e planejar passeios. 


Sugestão de roteiro: se tiver em grupo ou em casal vale a pena alugar um carro e visitar a cidade Essaouira ou passar um final de semana em Marrakesh. 



Por Thais Motta 🩷


Комментарии


bottom of page