top of page
  • Foto do escritorClarissa Motta

Mais Buenos Aires, por favor!

Toda viagem começa com um bom planejamento e esta, por ser uma viagem longa, não poderia ser diferente.


De hotel a translado, tudo foi ponderado para que a viagem fosse a mais tranquila possível. Foram 4 diárias no Hotel Prince, localizado na Recoleta (bairro maravilhoso, surpreendente, repleto de opções de lazer e visitações).

Obs: Quase tudo em Buenos Aires é taxado a preço de dólar. O valor em reais depende da cotação do dia.

Ao chegar no aeroporto faziam agradabilíssimos 9°C, tratei de trocar o dinheiro por moeda local para pegar um taxi até o hotel (a cotação oficial é bem desvalorizada se comparada a cotação paralela). A primeira parada foi no Puerto Madero, no Museu do Humor, onde estava acontecendo uma Exposição da Mafalda, do cartunista Quino. Saindo do museu, caminhei pela orla fluvial onde fica a Puente de la Mujer e foi no jantar que descobri o que é o tal do Cubierto (valor cobrado como taxa de depreciação ou utilização dos utensílios e de toda a estrutura do estabelecimento).


O segundo dia começou com as medialunas (croissant doce, usualmente comido com doce de leite), 6 °C, 9am e ainda escuro - saí da Recoleta sentido a Plaza de Mayo em uma rota de pelo menos 10km que durou o dia inteiro, além disso, passei na Calle Florida entre as ruas Tucumán e Via Monte, na galeria Florida, onde consegui fazer o câmbio do dólar mais valorizado. Como o Peso Argentino é bem desvalorizado, no mercado paralelo a moeda perde mais ainda o seu valor, sendo trocada livremente a um preço muito maior do que no oficial. O dia seguiu nesta ordem:


  1. Avenida de Mayo (ruas e arquitetura no melhor estilo europeu);

  2. Casa Rosada;

  3. Catedral Metropolitana;

  4. Banco de La Nacion;

  5. Gran Café Tortoni (churros com dulce de leite e chocolate quente para continuar a caminhada);

  6. Obelisco (cruzamento das avenidas 9 de Julio com a Corrientes);

  7. Plaza Lavalle Sa;

  8. Teatro Colón.


Após o passeio pela região central de Buenos Aires, segui de volta para a Recoleta, onde provei as famosas, maravilhosas, esplendorosas, inesquecíveis empanadas no El Sanjuanino, acompanhado com o vinho fabricado por eles, um lugar sem igual e que merece uma visita.

Após o almoço, segui ainda na Recoleta e vi:

  1. A Faculdade de Direito (uma construção magnífica);

  2. Floralis Generica (uma flor de metal que se abre pela manhã e pela noite se fecha, emanando uma luz vermelha de seu interior);

  3. Plaza de las Naciones Unidas;

  4. Cemitério da Recoleta (local onde está o mausoléu de Evita Perón).


Fechei minha visita à Buenos Aires no El Caminito e San Telmo, onde fui de encontro ao monumento da Mafalda - que eu achei que era bem maior do que é na verdade.


O passeio ainda contemplou os seguintes destinos abaixo:

  1. Uma lista com os top 5 restaurantes por lá;

  2. Be Frika – (hamburguer homemade);

  3. Freddo – (Sorveteria espalhada por toda a cidade, mas vale tomar um sorvete de Dulce de Leche);

  4. Museo Evita – (onde você poderá conhecer melhor a história dessa pessoa que foi um ícone para o país);

  5. Museu Nacional de Belas Artes.





Vale ressaltar, caso você opte por levar Alfajor, pesquise um pouco, pois, apesar de ser bastante conhecida, a marca Havanna não é o mais saborosa. Comprei uma marca super bem indicada chamada Cachafaz. Se for comprar em quantidade, compre em um supermercado, pois os preços são mais em conta do que nos vários Kioskos espalhados pela cidade.

Os países que visitei na América Latina:

Comentários


bottom of page