top of page
  • Foto do escritorClarissa Motta

O melhor das Canárias: Lanzarote

Lanzarote é assim: clima estável o ano inteiro, paisagem completamente dominada pelas rochas vulcânicas e um dos lugares mais especiais que conheci na Europa.


Eu fiquei hospedada no Hotel Floresta, localizado no Puerto del Carmen (uma área menos badalada da ilha) e escolhi o formato all inclusive para não ter que me preocupar com nada. A viagem tinha a intenção de não ter muitos planos, apenas passar o máximo de tempo possível no sol e no mar - e foi isso que eu fiz!


No primeiro dia eu fiquei pela praia de los Pocillos e Matagorda - confesso que me surpreendi com a transparência da água e a temperatura amena.


No segundo dia voltei na praia e pensei: quanto custa alugar um carro aqui? Entrei no site da Paylsess e descobri que a diária de um carro custava 32 euros, sem taxas extras ou depósitos a serem feitos. Carro alugado, fui até o povoado de Charco del Palo, uma área nudista, com praias de tirar o fôlego. Como estava todo mundo nu - inclusive eu - evitei tirar fotos, mas o mar por lá é lindo demais.


De lá, segui para a Playa Chica, localizada na área mais central e badalada de Lanzarote. Achei o local muito cheio!


No terceiro diz eu resolvi fazer um passeio turístico pela Grand Tour (valeu extremamente a pena, inclusive para não pegar a fila quilométrica para entrar no Timanfaya National Park) e o mesmo passou pela:


  • El Golfo ou Charco Verde, uma cratera de um antigo vulcão que, ao submergir parcialmente no oceano, deu origem a um pequeno lago de cor verde que traz um belíssimo contraste cromático entre o lago, cores rochosas e o mar;

  • Timanfaya National Park, sendo que a primeira parada era para fazer um passeio com os camelos. Eu prefiro não fazer esse tipo de turismo, mas pedi para fazer carinho e tirar uma selfie com um deles. De lá seguimos para o El Diablo para uma série de demonstrações da temperatura elevadíssima a que o subsolo se encontra Por fim, passamos pela Rota dos Vulcões, pequenas estradas ladeadas por paisagens inacreditavelmente belas, enquanto se ouvia uma gravação com algumas explicações sobre a paisagem. Eu nunca vi nada parecido na vida!





  • La Geria, onde a paisagem se tornou mais verdinha, nas regiões vitivinícolas. A forma como as vinhas de La Geria são construídas para suportar os elementos naturais (como o vento) é arte pura.

  • Jameos de Água, o espaço planejado pelo César Manrique, integrado perfeitamente com as rochas vulcânicas. O mais interessante alí é ver a lagoa que protege os carangueijos cegos que estão em extinção e a piscina natural que imita a cor da lagoa - a mesma conta com esse tom azul, mas não pode ser iluminada justamente por conta dos carangueijos cegos.


Lanzarote me surpreendeu em todos os sentidos, me senti abraçada pela cidade. Os cactos espalhados pela cidade, a cor da areia, as formações rochosas desenhadas pelas larvas dos vulcões, a comida leve e saborosa e muito mais. Ganhou meu ❤️




O que não pode deixar de conhecer na Espanha?




Comments


bottom of page